16
Jan 09
1. There Will Be Blood

 
2. The Dark Knight

3. No Country For Old Men

4. Into The Wild

5. I'm Not There

6. Juno
7. Entre Les Murs
8. Persépolis
9. Before The Devil Knows You're Dead
10. WALL-E


Este ano foi um ano com excelentes estreias em Portugal. Os dois primeiros meses foram óptimos pois estavam recheados de nomeados aos mais variados Oscares. Portanto é normal que alguns destes filmes (que até são de 2007) figurem entre os primeiros da minha lista. É interessante verificar que na lista os três primeiros filmes são todos visões um pouco negras e violentas da realidade, com personagens cruéis, egocêntricas e sem escrúpulos. Dos restantes filmes talvez só Antes que o Diabo Saiba que Morreste possui uma abordagem tão negativa da vida. Os filmes que de alguma forma se basearam em factos ou personagens reais também abundam com obras como O Lado Selvagem, I'm Not There - Não Estou Aí e Persépolis. Foi também um bom ano para a animação e isso está aqui representado através de: Persépolis e WALL-E. Em jeito de conclusão posso afirmar que 2008 foi um ano de que gostei bastante, deixando vários filmes que ficarão certamente na minha memória por muito tempo, apesar de não existir um que me tenha marcado tanto como Haverá Sangue, um filme que para além de liderar este top 10, luta por um lugar no meu top 10 geral. (texto publicado na Red Carpet)

 

Nota: Este top é dos 10 melhores filmes que estrearam em Portugal em 2008. Não costumo fazer os tops assim desta forma, prefiro fazer mesmo os tops por ano. Mas neste caso tornou-se necessário faze um top de final de ano para a revista Red Carpet.

publicado por Luís Costa às 00:19
tags:

2 comentários:
é pá, bom blog que aqui encontro. é sempre bom vir parar a um canto cinéfilo.

a começar pelo nome:)

quanto à lista, mais coisa menos coisa, concordo. fora o no country for old men. não consegui mesmo. gostos.

cumprimentos cinéfilos.

ah e começar o ano com um western é bom, muito bom.
M. a 16 de Janeiro de 2009 às 20:59

Obrigado pelo elogio ao blog. :)

Quanto ao No Country, o cinema é mesmo assim, não se pode agradar a gregos e troianos.

Cumprimentos.
Luís Costa a 17 de Janeiro de 2009 às 17:22

pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

mais sobre mim