11
Mar 09
 
Depois de uma primeira temporada extraordinária as minhas expectativas estavam um pouco confusas. Por um lado estava entusiasmado, por outro sabia o quão difícil era melhorar algo que tinha adorado. Mas a verdade é que só o facto de termos oportunidade de ter Hank Moody de volta já é algo que vale a pena. E depois de ter visto os doze episódios no espaço de uma semana (acabei há poucos minutos atrás) posso concluir que esta temporada é tão boa (e em certas partes ainda melhor) que a primeira.
 
Na temporada anterior Moody conseguiu o objectivo que o moveu durante todos os episódios, ou seja, reconquistar a mulher (ok, ele também tinha como objectivos secundários envolver-se com o maior número de mulheres e ver o fundo de todas as garrafas que lhe passassem pelas mãos). Agora, nesta temporada, a relação com a mulher recomeça e vai ser novamente colocada em perigo devido ao estilo de vida boémio de Moody.
 
Não me vou alongar mais sobre a série, mas aconselho a verem o mais depressa possível pois é das melhores (dentro do género) que tive a oportunidade de ver. Esperem sempre muito sexo, humor negro, situações mirabolantes e algum drama sempre associado a isso tudo.

 

PS: Quem diria que David Duchovny iria alguma vez interpretar uma personagem que fizesse esquecer Mulder?

publicado por Luís Costa às 16:32
tags:

2 comentários:
está muito bom mesmo! a "reencarnação do bret easton ellis" ehehe

não acho que seja melhor, mas está ao mesmo nível que a primeira série. só n gostei muito do final...

o sexo e as mulheres ao pé disto, minha mãe.

Jorge Sampaio a 8 de Abril de 2009 às 15:14

aliás, sexo e a cidade, lol.

e eu até tinha o projecto de escrever umas histórias do género, o título era "capariqueca".
Jorge Sampaio a 8 de Abril de 2009 às 15:15

pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

mais sobre mim