08
Abr 09

 
Ao pesquisar por informação sobre Noite e Nevoeiro (antes de o ver) descobri que existem várias escolas (principalmente motivadas pelos professores de história) nos EUA que exibiam esta obra. Sabia que era um documentário francês de trinta e poucos minutos, realizado por Alain Resnais, e o tema era o Holocausto. Pensei para mim se valeria a pena ver mais um filme baseado num dos períodos mais negros da história da humanidade, é que este é um tema recorrente no cinema – todos os anos. O facto de ser curto e estar na Colecção Criterion chamou-me a atenção. O facto de ser exibido em escolas e de ter lido excelentes críticas fez-me vê-lo de imediato.
 
Fiquei extremamente impressionado. Não me lembro de ter visto imagens tão chocantes, nem em documentários, nem em filmes sobre o tema. E digo mais, nem em filmes de terror dos mais violentes que vi, observei tamanha violência. É chocante como a realidade consegue superar a ficção.
 
O filme não nos traz nada de novo em termos de informação mas faz-nos pensar. Faz-nos pensar em como pôde algo deste género ter acontecido. Como é possível que a humanidade tenha executado estes actos tão vis e absurdos? Como pôde um país inteiro cegar pelo ódio às minorias? E depois, o filme ainda nos deixa a reflectir, caso não tenhamos o cuidado necessário, caso não tenhamos estes acontecimentos em mente, tudo pode voltar a acontecer. Nós tentamos esquecer, tentamos pensar que está tudo bem, e é por isso que ver um filme destes se torna obrigatório, para não adormecermos encostados à monótona e repetitiva rotina do dia-a-dia.
François Truffaut disse que este era o melhor filme de todos os tempos. Não sei se posso concordar com isso, mas certamente é um dos mais importantes.
 
 
 
PS2: Podem ver o filme aqui.

 

publicado por Luís Costa às 17:58

pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

mais sobre mim