31
Ago 10

Acaba hoje o melhor mês dos últimos doze (Treze? Catorze? Quinze? Vinte?). Pessoalmente e cinematograficamente falando.

Vi VINTE E DOIS filmes. Algo que não fazia há nem sei quanto tempo. São bastantes filmes, mas o mais incrível foi a qualidade de cada um deles. Vi filmes essenciais para qualquer cinéfilo e outros que, sem serem obras-primas, foram óptimas experiências. E isso deve-se ao facto de estar mais selectivo. Não perco tempo com certos filmes como antes. É algo que se vai ganhado com o tempo, esta selectividade.

E falando em selectividade, deve ser por a aplicar que a parte pessoal está como está (vales verdejantes!). Temos que perceber que não podemos agradar a gregos e troianos e, mais importante, que há pessoas que simplesmente não valem a pena. Em contrapartida, há outras que valem o seu peso em prata, ouro, diamante, adamantium ou kryptonite. E são essas que nos fazem avançar, sem olhar para trás, que nos motivam a sermos melhores pessoas. São as essenciais.

publicado por Luís Costa às 22:31

4 comentários:
Pegando na ligação que fizeste sobre a selecção de cinema / pessoas (com a qual concordo plenamente), a verdade é que o cinema pode ter um papel muito importante nas vidas das pessoas e ensinar-nos muito, nomeadamente sobre relacionamentos e prioridades: quem e o quê é importante para nós. Não podemos ter tudo nem podemos ter todos :)
djamb a 1 de Setembro de 2010 às 17:32

Sem dúvida Djamb. Aprendi e aprendo muito com o cinema. Os bons filmes tem sempre aquela capacidade de nos fazer pensar. E só por aí já é bom. :)
Luís Costa a 2 de Setembro de 2010 às 19:03

És e sempre serás um inspiração! :) Obrigada
Anónimo a 1 de Setembro de 2010 às 19:09

Obrigado.
Luís Costa a 2 de Setembro de 2010 às 19:03

pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

mais sobre mim