11
Set 10

Garth Ennis. Um nome para fixar. Preacher e nove anos de Punisher são as obras pelas quais se tornou famoso como escritor de banda desenhada. Mas foi através das suas Chronicles of Wormwood, uma BD de seis revistas, que o conheci. Li as cento e quarenta e quatro páginas de rompante e fiquei sedento por mais material seu. É que nunca tinha colocado os meus olhos em cima de banda desenhada tão politicamente incorrecta (veja sinopse aqui).

Como não me apetecia ler algo muito longo, decidi-me por Crossed. Apenas dez revistas, com duzentas páginas no total. Não fiquei decepcionado. A violência, crítica social e imagens altamente chocantes continuam a abundar, tal como em Wormwood.

A história é uma variação das normais narrativas de zombies. O mundo é apanhado desprevenido por um vírus que faz com que tudo o que o Ser Humano tem de pior venha ao de cima nos infectados, que ficam com uma cruz na cara (daí o nome da BD). Um grupo de não contagiados passa por uma série de dificuldades para chegar ao Alasca, onde julgam estarem mais seguros por existirem menos pessoas, sempre com os “Cruzados” no seu encalce.

As imagens seguintes são alguns exemplos do que podem encontrar se lerem a BD:

publicado por Luís Costa às 23:51

pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

mais sobre mim