06
Nov 08

Nota: Crítica publicada no site Red Carpet

Dois anos depois de Casino Royale (CR), Daniel Craig volta a vestir a pele do agente secreto mais famoso de todos os tempos. Quantum of Solance (QoS) continua a história onde o filme anterior acabou. Bond captura um dos responsáveis pela morte de Vesper, Mr. White, um agente de uma organização da qual Bond e o próprio MI6 sabem muito pouco. Mr. White acaba por fugir e ao procurá-lo Bond acaba por se deparar com Dominic Greene, outro intermediário da organização secreta, de nome Quantum. Greene esconde-se por trás de uma fachada de activista ambiental, mas é um vilão poderoso com contactos e influência por todo o mundo. Na sua demanda para parar Greene, e vingar-se de toda a gente que esteja ligada à Quantum, Bond conhece Camille Montes, uma mulher que tal como ele se move pela vingança.

Existe algo que facilita uma análise a um filme de James Bond, é o facto de termos algo com que comparar. São vinte e três filmes que se podem perscrutar até ao mais ínfimo pormenor. Sabe-se que CR rompeu em muito com os filmes que o antecederam, mas mesmo assim existem coisas que definem em muito um filme de Bond. Quase que dá para fazer uma checklist neste filme sobre essas coisas. Música de cantores conhecidos, confirmado. Introdução típica de 007, confirmado. Bond Girls belas e perigosas, confirmado. Perseguições a pé, de moto, carro, barco e avião, confirmado. Locais variados e exóticos, confirmado. Herói sobrevive a tudo por mais perigoso que seja, confirmado. Este é assim um filme que possui todos os ingredientes necessários para um bom Bond Movie.

Mas apesar de toda a sua qualidade, QoS é um filme ligeiramente inferior a CR. Uma das grandes conquistas de CR foi o facto de ser novidade no universo de Bond, isso e o facto de ser bastante forte em termos emocionais devido à relação entre Bond e Vesper. QoS perde alguma novidade, como seria de esperar, e perde bastante por já não contar com Vesper. Não que a Bond Girl deste filme não seja boa, antes pelo contrário, é uma personagem excelente e é óptima a forma como inseriram alguém que tem tanto em comum com Bond.

De qualquer forma, QoS conjuga-se perfeitamente com CR. Os dois formam uma dupla que encerra a origem de Bond. Com este filme um ciclo fechou-se. Bond ultrapassou o caso Vesper e de agora em diante talvez comece a ser mais como os Bonds anteriores.

No geral, este é um filme recheado de acção, com um excelente ritmo e uma história cativante. Tendo em conta o universo Bond, continua a ser uma lufada de ar fresco, apesar de não ter o impacto do seu predecessor.

 

 

publicado por Luís Costa às 19:31

05
Nov 08

5 Vilões

Ernst Stavro Blofeld

Filme: From Russia with Love, Thunderball, You Only Live Twice, On Her Majesty's Secret Service e Diamonds Are Forever

Afiliação: SPECTRE

País de Origem: Polónia

Interpretado por: Donald Pleasence, Telly Savalas e Charles Gray

 

Auric Goldfinger

Filme: Goldfinger

Afiliação: China Comunista e SMERSH

País de Origem: Letónia

Interpretado por: Gert Fröbe

 

General Orlov

Filme: Octopussy

Afiliação: Exército Soviético e Kamal Kahn

País de Origem: União Soviética

Interpretado por: Steven Berkoff

 

Francisco Scaramanga

Filme: The Man with the Golden Gun

Afiliação: KGB

País de Origem: Reino Unido / Cuba

Interpretado por: Christopher Lee (primo de Ian Fleming)

 

Dr. No

Filme: Dr. No

Afiliação: SPECTRE

País de Origem: China

Interpretado por: Joseph Wiseman

publicado por Luís Costa às 23:40

04
Nov 08

Músicas

 

Uma das trademarks desta saga são as músicas que são ouvidas sempre nos créditos especiais. Na playlist coloquei algumas que consegui arranjar, pena não serem todas originais, but you got the ideia.

publicado por Luís Costa às 22:44

03
Nov 08

Esta é a semana de estreia do 22º filme (se não contarmos os não oficiais) sobre o agente secreto mais famoso do mundo.

Quantum of Solace é o segundo filme do reboot da série. Com Daniel Craig novamente no papel de 007, este é um dos filmes mais esperados por mim este ano. 

Devido à estreia decidi fazer um post diário com alguns dados sobre esta saga. Vou começar por falar dos vários actores que interpretaram talvez um dos papeis mais desejados do cinema.


 Sean Connery

Sean Connery, talvez por ter sido o primeiro, é o actor mais acarinhado pelos fãs de Bond. O escocês tornou-se um sex-symbol nos anos 60 muito por causa deste papel, que foi o ponto de partida para uma carreira cheia de sucesso.

Número de filmes: 6+1 (Dr. NoFrom Russia With LoveGoldfingerThunderballYou Only Live Twice, Diamonds Are Forever e o não oficial Never Say Never Again)

Anos como Bond: 1962-1967, 1971 e 1983

George Lazenby

Este é sem dúvida o Bond menos conhecido. Australiano de origem, teve bastantes problemas com o realizador Peter R. Hunt e talvez por isso não tenha feito mais que um filme. As opiniões relativamente à sua interpretação são bastante divergentes, mas alguns fãs vêem nele o Bond perfeito, devido à sua história pessoal: ex-comando, esquiador profissional, perito em artes marciais, cavaleiro experiente e piloto de motos e carros.

Número de filmes: 1 (On Her Majesty's Secret Service)

Anos como Bond: 1969

Roger Moore

Roger Moore é, a par de Connery, o actor com mais filmes da saga.  O primeir oBond louro fugia em termos de aspecto ao que os dois anteriores nos tinham habituado. Também foi o primeiro Bond inglês. Diz-se que foi considerado para desempenhar o papel logo no primeiro filme, pois Ian Fleming tinha-o como o actor favorito para o papel.

Número de filmes: 7 (Live and Let Die, The Man with the Golden GunThe Spy Who Loved Me, Moonraker, For Your Eyes Only, OctopussyA View to a Kill)

Anos como Bond: 1973-1985

Timothy Dalton

Muita gente não sabe que Dalton recusou o papel de Bond no sétimo filme da saga - Diamonds Are Forever - alegando que era novo de mais para o papel e que não se achava à altura do legado de Connery. Acabou por aceitar o papel  quinze anos mais tarde.
Número de filmes: 2 (The Living Daylights e Licence to Kill)

Anos como Bond: 1987-1989

Pierce Brosnan

Pierce Brosnan fez o seu primeiro filme Bond em 1995, 6 anos depois de Licence to Kill. Este foi o periodo mais longo sem um filme desde que a saga começou, por isso as expectativas era altas. Brosnan foi um bom Bond, conseguindo reunir consenso quanto aos seus desempenhos (apesar de nem todos os filmes em que entrou serem de grande qualidade).

Número de filmes: 4 (The Living Daylights e Licence to Kill)

Anos como Bond: 1995-2002

Daneil Craig

O Bond actual é sem dúvida uma actualização do velhote agente secreto. É o Bond do século XXI. Com grandes influências doutra saga de espionagem (Bourne), este é um Bond mais real, que sangra, sofre e se apaixona como qualquer outro homem. Com apenas um filme, Craig conseguiu criar empatia com os fãs e já tem contrato até ao Bond 25, ou seja mais 3 filmes (contando com Quantum of Solace).

Número de filmes: 2 (Casino Royale e Quantum of Solace)

Anos como Bond: 2006-

publicado por Luís Costa às 22:04

pesquisar neste blog
 
arquivos
tags

todas as tags

mais sobre mim